NOTÍCIAS

SEMAS - Contagem  promove a Semana Florestal: pensar no futuro é agir agora - 19.09.2017.

A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), promoveu na tarde de terça-feira (19), ciclo de palestras abordando questões relacionada a arborização urbana. O objetivo foi mostrar casos de sucesso em arborização na região metropolitana e em Contagem, assim como apresentar a legislação e os desafios para o plantio de árvores na cidade. 

 

O evento, que ocorreu no auditório da prefeitura, contou com a apresentação do biólogo e servidor da Fundação Municipal de Parques e Áreas Verdes de Contagem (Conparq), Guilherme Vieira. Ele abordou a arborização de Contagem, destacando algumas espécies encontradas na cidade e suas características. 

 

O engenheiro florestal, Edinilson Santos, do Consórcio de Recuperação da Bacia da Pampulha, consórcio esse que é formado pelos municípios de Belo Horizonte e Contagem, por empresas públicas e privadas, por associações civis e pessoas físicas, tem como meta o gerenciamento ambiental da Bacia Hidrográfica da Pampulha. Edinilson fez uma explanação sobre a identificação de espécies arbóreas, citando ações desenvolvidas na Prefeitura de Belo Horizonte, como o Inventário das Árvores.

 

Ao final, a engenheira florestal da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Marina Moura Souza, explicou sobre técnicas de poda em ambiente urbano, questão fundamental para a Cemig, pois é a empresa quem faz esse manejo nas áreas onde há conflito entre a rede elétrica e a arborização.

 

 

FONTE: http://www.contagem.mg.gov.br/?materia=447007

REPÓRTER: Túlio Andrade    FOTO CRÉDITO: Túlio Andrade   

 

Encontro entre Autoridades do Controle Ambiental Municipal para tratar da Bacia da Pampulha - 12.09.2017.
WhatsApp Image 2017-09-18 at 14.19.57.jpeg

O Consórcio de Recuperação da Bacia da Pampulha realizou dia 12 de setembro de 2017, nas dependências do Centro de Educação Ambiental (CEA)-PROPAM, localizado no bairro Castelo, um encontro entre autoridades públicas municipais de Belo Horizonte, tendo como objetivo principal a  busca de soluções para problemas frequentemente encontrados na bacia da Pampulha e que refletem na Lagoa, tais como,  degradação de nascentes que impactam negativamente na vazão dos córregos, excesso de sedimentos provenientes de movimentação de terra e bota-fora clandestino,  resíduos sólidos e esgoto que chegam em suas águas através dos córregos que a alimenta.

 

Apesar das grandes intervenções que estão sendo realizadas, dentre elas as obras de captação e tratamento de esgoto pela COPASA e a remediação da água da lagoa, de responsabilidade da SUDECAP, ainda há muito o que fazer. Além disso, ações preventivas rotineiras coercitivas também deverão ser sistematicamente realizadas para se evitar problemas futuros.

 

Compareceram a este encontro, representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMMA, Fiscalização - SMAFIS, Saúde- SMSA, Obras- SMOBI, Coordenadorias Regionais Noroeste e Pampulha e as Superintendências de Limpeza Urbana- SLU e Desenvolvimento da Capital- SUDECAP  que discutiram a importância da aproximação dos diferentes órgãos diretamente responsáveis pela reversão da atual situação em que se encontra o controle ambiental na bacia da Pampulha. Busca-se a partir dessa iniciativa,  encurtar o caminho para a solução dos problemas mediante a maximização do uso dos recursos humanos e financeiros do município, no intuito de devolver à Lagoa sua magnitude e garantindo ao cidadão belorizontino um patrimônio cultural e turístico recuperado e protegido.

 

Definiu-se que a próxima etapa será, a partir do diagnóstico de assoreamento, degradação de nascentes, esgoto e resíduos,  planejar e implementar ações efetivas na busca da proteção ambiental da lagoa.